sábado, 28 de maio de 2011

A sociedade do parado - reflexão

Vamos partir do seguinte raciocínio: vc compra em lojas fixas (ou pela internet). Os produtos chegam ali transportados por caminhões, nos quais os motoristas vêm sentados durante todo o trajeto na rodovia. Os produtos que chegaram na transportadora vieram ou de uma indústria ou de uma fazenda (agronegócio): na fazenda utilizou-se máquinas para o plantio e para a colheita (ou seja, o operador trabalhou sentado) e na indústria os componentes do produto foram instalados em uma linha de montagem (com os operários sentados ou mantendo uma determinada posição, considerada também sedentária). E pense que os insumos tanto da indústria quanto da fazenda também foram obtidos com trabalhadores operando máquinas, em trabalhos sedentários.
Agora pense que essa é a realidade de grande parte dos processos de consumo nos quais estamos envolvidos. Nós ficamos estáticos, realizando pequenos procedimentos, e os bens que queremos literalmente vêm até nós (de acordo com a nossa restrição orçamentária - renda).
Afinal de contas, estamos vivendo na "sociedade do parado"?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que a estrada se abra à sua frente,
Que o vento sopre levemente em suas costas,
Que o sol brilhe morno e suave em sua face,
Que a chuva caia de mansinho em seus campos,
E, até que nos encontremos, de novo, que Deus lhe guarde nas palmas de suas mãos!


Obrigado pelo seu comentário.

Criando o próprio futuro - O mercado de trabalho na era da competitividade total - Editora Ática - Simon Franco

Criando o próprio futuro - O mercado de trabalho na era da competitividade total - Editora Ática - Simon Franco - 183p. - Leitura finalizada...